Thursday, May 25, 2006

E Mais Ary




Ary dos Santos passa da exclamação jocosa (mais séria do que pode parecer) de um poema como POETA CASTRADO, NÃO! a uma suavidade melancólica, mística, que surpreende quem se habituou à sua produção mais crítica.Deixo uma estrofe do primeiro exemplo,reproduzindo na imagem o poema de inspiração franciscana, em que invectiva o santo:CANTO FRANCISCANO.

Poeta Castrado, Não!

Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo dromedário
fogueira de exibição
teorema corolário
poema de mão em mão
lanzudo
publicitário
malabarista cabrão.
Serei tudo o que disserem:
poeta castrado, não!

....

2 comments:

paula said...

Obrigada por mais Ary. Cá estarei espreitando e já tenho as "Canções"
Um beijinho Paula Oliveira

Fokas said...

Entra aquela música maluca que nos faz feliz...e pronto!